O verdadeiro sentido da vida – Relacionamento com o Pai

Ministração: Ap. Levi Oliveira
Texto Base: Salmos 24.3-4


Salmos 24:3-4 – “Quem subirá ao monte do Senhor, ou quem estará no seu lugar santo? Aquele que é limpo de mãos e puro de coração, que não entrega a sua alma à vaidade, nem jura enganosamente.”

Davi sabia que para chegar ao monte santo do Senhor deveria ser com respeito. Mas o seu desejo não era só visitar, mas habitar no lugar da habitação do Senhor.

Limpo de mãos – aquele que tem a consciência de que os seus atos são importantes, tem a ver com as nossas atitudes e do cotidiano.

Puro de coração – Tem a ver com os pensamentos.

As mãos falam dos meus procedimentos no dia-a-dia e o puro de coração está relacionado com os pensamentos. O processo de D’us para as mãos limpas, começa pela mudança de pensamento. Como um ser criativo, possuímos a capacidade de fazer coisas maravilhosas, porém a intenção pode não ser a melhor, segundo o coração de D’us. “Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e desesperadamente corrupto; quem o conhecerá? Eu, o SENHOR, esquadrinho o coração, eu provo os pensamentos; e isto para dar a cada um segundo o seu proceder, segundo o fruto das suas ações”. Jr .17.9-10

Muitas coisas podem sujar o coração: mágoa, ressentimento, ódio (considerado como assassinato pela Bíblia – 1 Jo. 3.15), adultério (Mt. 5.27-48), dinheiro (1 Tm. 6.10).

Santificação – é o ato da purificação que começa com o lavar as mãos e o purificar o coração.

Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me, e conhece os meus pensamentos”.
Sl 139:23; “Bem-aventurados os limpos de coração, porque eles verão a Deus”. Mt. 5.8

“Não ouves o que estas crianças estão proclamando?” Ao que Jesus lhes respondeu: “Sim. E vós, nunca lestes: ‘Dos lábios das crianças e dos recém-nascidos suscitaste louvor’”. Mt 21.16

Enquanto predispormos o coração em mantermos paredes para a insensibilidade com as pessoas, estaremos comprometendo a nossa relação com D’us. Desta forma o nosso coração fica reprovável.

“Quem, SENHOR, habitará no teu tabernáculo? Quem há de morar no teu santo monte?

 O que vive com integridade, e pratica a justiça, e, de coração, fala a verdade; o que não difama com sua língua, não faz mal ao próximo, nem lança injúria contra o seu vizinho; o que, a seus olhos, tem por desprezível ao réprobo, mas honra aos que temem ao SENHOR; o que jura com dano próprio e não se retrata; o que não empresta o seu dinheiro com usura, nem aceita suborno contra o inocente. Quem deste modo procede não será jamais abalado”. Salmo 15

O ensino de hoje é para mostrar que D’us quer sim se relacionar conosco de uma forma simples e concreta. Um sangue foi derramado há dois mil anos e é capaz de purificar o nosso coração e restaurar a nossa comunhão com o Pai. Ele está nos chamando para que nos lavemos e nos purifiquemos no sangue de Jesus, para termos assim um coração puro e as mãos limpas. D’us é o GRANDE EU SOU, aquele que libertou todo o povo de Israel do Egito e ainda hoje opera milagres e maravilhas nas nossas vidas.

“Tende em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, pois ele, subsistindo em forma de Deus, não julgou como usurpação o ser igual a Deus; antes, a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se em semelhança de homens; e, reconhecido em figura humana, a si mesmo se humilhou, tornando-se obediente até à morte e morte de cruz. Pelo que também Deus o exaltou sobremaneira e lhe deu o nome que está acima de todo nome, para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, nos céus, na terra e debaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo é Senhor, para glória de Deus Pai”.

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado.